atti! comunicação e ideias
atendimento@atticomunicacao.com.br / 11 3729.1455 | 3729.1456

Atti comunicação e idéias

A peça “Os Vivos e os Mortos”, de Kiko Marques  e direção de Francisco Gomes,  estreia dia 27 de junho no Viga

A peça “Os Vivos e os Mortos”, de Kiko Marques e direção de Francisco Gomes, estreia dia 27 de junho no Viga

*** Flavia Pucci, Fábio Herford, Andréa Prior, Ruy Andrade, a cantora indiana Rathinabali, entre outros, estão no elenco

*** Baseado no conto homônimo do indiano Rabindranath Tagore

No próximo dia 27 de junho (quarta-feira) estreia no Viga Espaço Cênico, na sala Viga, em S. Paulo, a peça “Os Vivos e Os Mortos” de Kiko Marques, baseado no conto homônimo do indiano Rabindranath Tagore, e direção de Francisco Gomes.

A peça “Os Vivos e os Mortos” ambientada na Índia da década de 40, conta a história de Kadambini, uma mulher sem marido ou filhos, interpretada pela premiada atriz Flavia Pucci, que se sente muito mal ao receber uma triste notícia e é dada como morta. Após os rituais é carregada até o campo de cremação. Entre os carregadores está Scripati, personagem do ator Fábio Herford, homem simples e de coração puro, que crê firmemente na possibilidade dos mortos retornarem ao mundo dos vivos.

Pouco antes de ser cremada, Kadambini acorda. Ela passa então a viver como se de fato não pertencesse mais a este mundo, tentando encontrar um sentido para ainda estar entre os vivos.

O espetáculo cria uma atmosfera dos contos orientais, utilizando instrumentos musicais, dança e canto indiano. Durante a peça, acontece a apresentação de várias danças clássicas indianas, interpretada por Andréa Prior, atriz e uma das dançarinas mais reconhecidas no Brasil neste tipo de dança.

Outra novidade do espetáculo, é que cantora indiana Ratnabali, formada na Universidade Tagore, canta e toca ao vivo, conduzindo a plateia a uma viagem cultural e de costumes ao país de Gandhi. Para completar, os diferentes espaços físicos da narrativa são construídos e desfeitos pelos próprios atores diante do público, auxiliados pela trilha. No elenco ainda estão Inês Aranha, Ruy Andrade, Antônio Aurrera, Tieza Tissi, Thiago Azanha e Mateus Menezes.

Serviço:

“Os Vivos e os Mortos” direção de Francisco Gomes
Data: De 27 de Junho a 26 de Julho/ Quartas e Quintas às 21h00
Local: Viga Espaço Cênico (Rua: Capote Valente, 1323) – Sala Viga
Capacidade: 74 lugares
Ingressos: R$30,00 (inteira)/ R$15,00 (meia entrada)
Duração: 80 min.
Classificação etária: 12 anos

Informações ao Público: Tel: (11) 38011843/ www.viga.art.br

Ficha Técnica
Elenco: Flávia Pucci, Fábio Herford, Inês Aranha, Andrea Prior, Ruy Andrade, Antônio Aurrera, Tieza Tissi, Thiago Carvalho, Mateus Menezes e Flávio Quental.
Texto: Kiko Marques (com a colaboração de Maucir Campanholi, inspirado em conto de Tagore).
Direção: Francisco Gomes
Figurino: Cristina Jimenes e Ivana Scotelari
Músicos: Ratnabali e Loudes Carvalho
Direção Musical: Ratnabali

Figurino: Cristina Jimenes
Cenografia: Francisco Gomes

Iluminação: Diego Leite

Saiba mais sobre o elenco:

Flavia Pucci: atriz e diretora, que no início dos anos 80 entrou para o CPT de Antunes Filho e logo foi para ao Grupo Macunaíma dirigido pelo mesmo, onde se tornaria ao longo dos anos uma das principais atrizes. No teatro atuou em "Macunaíma", "Nelson Rodrigues, "Paraíso Zona Norte", todos dirigidos por Antunes Filho. Ainda participou de "Mary Stuart, de Gabriel Vilela, "Boca de Ouro", Perdoa-me Por me traíres” e “A perdida” de Marco Antônio Braz, “Um Bonde Chamado Desejo de Kiko Jaess, “Quebrando Códigos” direção de Roberto Vignati, “Antes do dia Chegar” de Maurício Paroni de Castro, entre inúmeras outras peças”. Entre seus trabalhos em cinema destaque para "Cronicamente Inviável" (2000), filme de Sérgio Bianchi. Também fez várias participações em televisão como nas novelas “Meu Pé de Laranja Lim” a (1998), “Marcas da Paixão” (2000), “Amor e Ódio” (2001), “Páginas da Vida” (2006) , “Amigas e Rivais” (2007/2008), entre outras.

Fábio Herford: ator paulistano que no teatro participou das peças “GRÁVIDO” (2012) direção de Alexandra Golik, “DESCONHECIDOS” (2011) direção de Gustavo Machado, “GHETTO” direção de Elias Andreato, “A ALMA BOA DE SETSUAN” (2010) direção de Marco Antônio Braz, “RICARDO III” direção de Jô Soares ,"TIO VÂNIA" direção de Celso Frateschi. No cinema atuou em “PROCURA-SE” (2012) de Michel Tikhomiroff, “OS NORMAIS” (2009) de José Alvarenga, “SALVE GERAL” (2009) de Sergio Rezende, “QUANTO DURA O AMOR?” (2009) de Roberto Moreira, “BOLEIROS 2” (2005) de Ugo Giorgeti, "CASAMENTO DE ROMEU E JULIETA" (2003) de Bruno Barreto, “BICHO DE SETE CABEÇAS" (2001) de Lais Bodansky e “BOLEIROS” (1997) de Ugo Giorgetti. Já na TV fez diversos trabalhos como a série “ALICE” (2010), “NORMA” (2009), “TOMA LÁ DA CÁ” (2008), “GRANDE FAMÍLIA” (2007), “A DIARISTA” (2006), entre outros

Ratnabali: Nasceu na Índia numa família tradicional de Calcutá. Formou-se em canto clássico indiano pela Prayah Sangeet Samiti de Ilhabad obtendo o grau de Sangeet Prabhakar aos 16 anos de idade. Mais tarde estudou vários gêneros de canto, como Rabindra Sangeet, Bhajan, cantos folclóricos e clássicos na "Rabindra Bharati University" da Calcutá. Depois se tornou discípula do famoso músico Pandit Prasun Kumar Banerjee da Patiala Gharana do Ustad Bade Gulam Ali Khan. Seu currículo também inclui bacharelado e mestrado em História pela Universidade Federal de Pernambuco.

Andrea Prior: dançarina, professora, atriz e diretora, iniciou cedo seus estudos em música e ballet clássico, até ingressar no universo da dança indiana devocional (Prabath Sangeeth) em 1991, com Jutilde Medeiros. Em 1993, começa seus estudos da dança clássica indiana Odissi, em São Paulo, com Sonia Galvão. Paralelamente à atividade de dança, atua como diretora e atriz em espetáculos voltados ao universo oriental, participando da Cia. Daisy Nery, Cia. Teatro X e Grupo Guardiões do Sonho. Na vertente oriental, adapta e dirige o épico "Ramayana" (2001) para o público infantil, que teve sua estreia no Centro Cultural São Paulo, e a peça "Histórias de lá do lado de cá", em celebração ao centenário da imigração japonesa, com a Cia. Os Tios de Teatro. É fundadora, coordenadora e professora de danças clássicas indianas do Espaço Rasa, centro para a pesquisa, divulgação, desenvolvimento e aprofundamento de danças.

Ruy Andrade: Iniciou no teatro sob direção de Francisco Gomes com a peça “O Retorno ao Deserto”, de B.M. Koltes. Atuou em várias peças com o grupo “Garagem 21”, entre elas, “O Diálogo Inútil do Abismo com a Queda” direção de César Ribeiro e mais recentemente participou de várias montagens do grupo “Os Satyros” sob direção de Rodolfo Garcia Marques. Na TV atuou na minissérie “Além do Horizonte” exibida pela Rede Cultura.

O Diretor:
Francisco Gomes: Santista começou no teatro como ator trabalhando em peças como BAILEI NA CURVA com direção de Eliel Ferreira e OS MOCORONGOS, texto e direção de Leo Lama. Trabalhou também como iluminador, até chegar à direção de inúmeras peças, entre elas MONALIZA, com Texto de Guilherme, ROBERTO ZUCO de Bernard Marie Koltés, e NUM BOSQUE, adaptação própria do texto homônimo de Akutagawa.
O autor:
Kiko Marques: ator formado em 1988 no Rio, trabalhou em importantes produções cariocas, sob direção de Moacyr Góes e Moacyr Chaves até se transferir para São Paulo para trabalhar com Antunes Filho. Sob a direção de Marco Antônio Braz, atuou em inúmeras peças teatrais, quase todas de Nelson Rodrigues, recebendo diversos prêmios. Recentemente atuou em “Ricardo III” com direção de Jô Soares, “Simpatia” de Renata Melo e José Rubens Siqueira. No cinema atuou em "Cidade de Deus" e "Carandiru", além de várias participações em programas e novelas de televisão. Recentemente esteve em cartaz com a peça “A Alma Boa de Setsuan” ao lado de Denise fraga e grande elenco.



atti comunicação
Fonte: http://os-vivos-e-os-mortos.blogspot.com.br/2012_05_01_archive.html
atti comunicação
Volta para lista de notícias
atti comunicação e ideias