atti! comunicação e ideias
atendimento@atticomunicacao.com.br / 11 3729.1455 | 3729.1456

Atti comunicação e idéias

23° Festival Mix Brasil traz 139 filmes de 28 países

23° Festival Mix Brasil traz 139 filmes de 28 países

*** Destaque para a 1ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] & Mix Brasil

*** Presença de Wieland Speck, Mauricio López Fernández, Diego Calva Hernández, Carol Queen, Buck Angel, Daniela Sea e todos os diretores de curtas e longas-metragens nacionais

*** “Te Prometo Anarquia” do mexicano Julio Hernández Cordón, abre o festival

*** 11 espetáculos teatrais, 8 atrações musicais, além de leituras dramáticas e performances

O 23° Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, maior festival LGBTQ da América Latina acontece de 11 a 22 de novembro na Capital Paulista. Em 2015, o evento apresenta 139 filmes de 28 países, além de teatro, música, leitura dramática, performances e a 1ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] & Mix Brasil. A partir desta edição, o festival homenageará Suzy Capó, uma das fundadoras do Mix Brasil. Será entregue a produção mais inovadora e transgressora, o prêmio com o nome da produtora e jornalista.

Inédito em São Paulo, o longa “Te Prometo Anarquia” (México-Alemanha) de Julio Hernández Cordón abre o Mix, numa sessão especial para convidados no dia 11 de novembro. O evento contará com a presença do ator do filme Diego Calva Hernández. Selecionado para os festivais de Locarno e Toronto e recentemente premiado como melhor longa latino-americano do Festival do Rio, a história da película gira em torno de Miguel, de família de classe média, e Johnny, de bairro humilde, que são skatistas e namorados. Para financiar seu estilo de vida, eles vendem o seu próprio sangue e de sua gangue a clínicas clandestinas, até que um grande trabalho para a máfia dá errado.

No Panorama Internacional estão confirmados longas-metragens e documentários premiados recentemente em Festivais Internacionais de Cinema como a Berlinale, Locarno, Frameline e Toronto, entre outros. Destaques para “Grandma” (EUA), de Paul Weitz, com Lily Tomlin e Laverne Cox; “Nasty Baby” (EUA), de Sebastián Silva, protagonizado pela atriz Kristen Wiig e ganhador do Teddy Bear de longa-metragem em Berlim, “Como Vencer no Jogo (Sempre)” (Tailândia/EUA/Indonésia), de Josh Kim, que concorre a uma vaga ao Oscar de melhor filme estrangeiro pela Tailândia, “Amor Eterno” (Espanha) de Marçal Forés, “Margarita com Canudinho” (Índia), de Shonali Bose, “Histórias de Nossas Vidas” (Quênia), de Jim Chuchu, vencedor do Teddy de melhor documentário em Berlim e “Tab Hunter - Confidencial” (EUA), de Jeffrey Schwarz. Este último é um documentário sobre a vida secreta do grande astro de Hollywood Tab Hunter, que estrelou filmes ao lado de Sophia Loren, Debbie Reynolds e Natalie Wood.

Já no circuito nacional, o festival premiará com o Coelho de Ouro o melhor longa-metragem brasileiro. Os concorrentes são “A Paixão de JL”, de Carlos Nader, “A Seita”, de André Antônio, “Âncora do Marujo”, de Victor Nascimento, “Califórnia”, de Marina Person, “O Animal Sonhado”, de Breno Baptista, Luciana Vieira, Rodrigo Fernandes, Samuel Brasileiro, Ticiana Augusto Lima, Victor Costa Lopes, “Quase Samba”, de Ricardo Targino, “Ralé”, de Helena Ignez, “TupiniQueens”, de João Monteiro, “Vozeria”, de Raphaela Comisso, “Yorimatã”, de Rafael Saar.

O Mix Brasil dedica parte da programação desse ano a mostra “Mundo Mix Latino, uma seleção especial de 8 longas e vários curtas latino-americanos. Entre os longas estão “Grisalhos” (Chile), de Claudio Marcone, melhor longa-metragem de estreia do Frameline São Francisco, “O Homem Novo” (Uruguai/Chile/Nicarágua), de Aldo Garay, “A Visita” (Chile), de Mauricio López Fernández (com a presença do diretor), “Carmim Tropical” (México), de Rigoberto Perezcano, “Juntos e Misturados” (Cuba/Espanha), de Nicolás Muñoz, “Liz em Setembro” (Venezuela), de Fina Torres, “Mariposa” (Argentina), de Marco Berger , e “Te Prometo Anarquia” (filme de abertura).

O Festival apresenta nesta edição sua maior seleção de curtas-metragens nacionais, escolhidos entre 370 inscrições. No total, serão exibidos mais de 50 trabalhos brasileiros, sendo 18 curtas em competição. Os programas especiais trarão os temas “Amor que Dói”, “Mix Jovem”, “Queer Culture”. “Segredos e Descobertas”, “Sexy Bofes”, “Sexy Boyz”, “Sexy Latinos”, “Transações”, “Virado à Paulista” e “Viva Sapata!”, além da tradicional sessão “Crescendo com a Diversidade”, voltada para o público infantil.

Vários convidados nacionais e internacionais marcarão presença no 23° Festival Mix Brasil como: Wieland Speck, diretor do Panorama do Festival de Berlim, Carol Queen, uma das mais importantes ativistas pelos direitos da comunidade queer e de profissionais do sexo, também foi responsável pela inclusão da bissexualidade, como uma identidade positiva, dentro da sigla LGBTQ, Daniela Sea (L Word), atriz, cineasta, musicista e ativista americana, Buck Angel , ator, produtor, diretor e ativista da causa trans, Karine Teles (“Que Horas Ela Volta?” e “Otimismo”), atriz e diretora, e os diretores Carlos Nader, André Antônio, Victor Nascimento, Marina Person, Breno Baptista, Luciana Vieira, Rodrigo Fernandes, Samuel Brasileiro, Ticiana Augusto Lima, Victor Costa Lopes, Ricardo Targino, Helena Ignez, João Monteiro, Raphaela Comisso, Rafael Saar, Hylnara Anny Vidal, Márcia Bellotti, Sueli Araújo, Fernanda Rocha, Daniel Favaretto Dudu Quintanilha, Leandro das Neves, Will Domingos, Estevan de la Fuente, Débora Zanatta, Cristiano Sousa, Luciano Carneiro, André de Oliveira, Julia Aguiar, Bruno Roger, Rodrigo Cavalheiro, Lara Dezan, Rafael Aidar, Lucas Padilha, Otavio Chamorro e Chico Lacerda.


Diversas atrações que envolvem teatro, dança, música, literatura, performances e novos talentos - Drag Queens completam a programação do Mix. O “Dramática em Cena” traz a estreia nacional da peça “Homens nas cidades”, monólogo com Laerte Mello e direção de Francisco Medeiros, além de "120 dias de Sodoma", texto e direção de Rodolfo García Vázquez, “Tadzio”, peça de Zen Salles e direção de Dan Rosseto, “Phedra por Phedra”, direção de Robson Catalunha, “Maria que Virou Jonas”, texto de Cássio Pires, “Desamor”, de Walcyr Carrasco e “Marica”, de Pepe Cibrián Campoy.

No Mix Music, uma das grandes atrações será o rapper Rico Dalasam. O artista, que desafia a noção de normalidade na música e no gênero, inaugurou a cena queer rap no Brasil. Presente na cena do hip-hop há mais de 14 anos, a DJ, produtora musical e MC, Luana Hansen, também irá se apresentar no festival. No repertório composições engajadas que questionam o machismo, a opressão e a homofobia.

O tradicional Show do Gongo não poderia ficar de fora. As atrações serão submetidas ao júri popular e convidados comandos por Marisa Orth. Os interessados poderão se inscrever no balcão de credenciamento durante o festival ou até horas antes do início das gongadas, que acontece em São Paulo no dia 17 de novembro às 21h.

1ª Conferencia Internacional [SSEX BBOX] & Mix Brasil

O 23º Festival Mix Brasil, acomodará, no Centro Cultural São Paulo, a primeira Conferência Internacional [SSEX BBOX] & Mix Brasil, com curadoria de Priscilla Bertucci. O evento, uma inédita parceria entre Mix Brasil e [SSEX BBOX], acontece de 17 a 22 de novembro e trará palestras, mesas de debates, e workshops com pesquisadores, ativistas, artistas, trabalhadores sexuais e pessoas que vivenciam questões relativas ao gênero e à sexualidade de forma não convencional.

A Conferência promoverá a reflexão de novas estratégias e enfrentamento à homofobia e à transfobia. Presenças confirmadas de mais de 70 palestrantes, entre eles Buck Angel, Jean Wyllys, Laerte Coutinho, Tatiana Lionço, João W. Nery, Sérgio Viula, Luana Hansen, Carol Queen e outros. Tudo com entrada gratuita.

Com direção artística de João Federici e codireção de André Fischer, o Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade terá programação especial no Centro Cultural São Paulo, além das salas de Cinema no Espaço Itaú de Cinema/ Augusta e CineSesc.

A programação completa do 23° MIX BRASIL DE CULTURA DA DIVERSIDADE estará disponível no site www.mixbrasil.org.br. A fanpage do festival pode ser acessada no endereço: www.facebook.com/FestivalMixBrasil.


PREÇOS:
CCSP – Centro Cultural São Paulo (cinema/ teatro e shows)
Preço popular a R$ 1

ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA (SALA 3) – Augusta
SEG - R$ 24 (inteira) e R$ 12 (meia)
TER - R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
QUA - R$ 22 (inteira) e R$ 11 (meia)
QUI a DOM e feriados - R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

CINESESC
R$ 12 (inteira), R$ 6 (meia) e R$ 3,50 - "Preço especial para trabalhadores do comercio de bens, serviços e turismo credenciado no sesc e dependentes (credencial plena) ".

Show do Gongo
R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada, somente com carteirinha ou comprovante que dê esse direito.

Serviço - 23° Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade
São Paulo – de 11 a 22 de novembro
Mais Informações: www.mixbrasil.org.br


atti comunicação
Fonte: www.mixbrasil.org.br
atti comunicação
Volta para lista de notícias
atti comunicação e ideias